Calcário dolomítico - corretivo de acidez

O agricultor tem que conhecer a sua lavoura, obedecendo os cuidados e controle para o seu desenvolvimento, fazendo sempre análise de solo os laboratórios credenciados.A acidez do solo se dá principalmente quando o cálcio e magnésio são substituídos pelo hidrogênio , que aparece através das chuvas, vindo naturalmente na água, através da aplicação do adubo químico nitrogenados na forma amoniacal e também da uréia. Com o solo ácido, as plantas deixam até de absolver os nutrientes dos fertilizantes químicos.Quando o agricultor aplica calcário para correção, neutraliza a acidez do solo, elevando o pH, com isto as plantas conseguem retirar do solo todos os nutrientes necessários ao seu desenvolvimento e o adubo químico fica com uma eficiência de 70% .A calagem ideal do solo deverá ser feita 90 dias antes do plantio para um calcário com o PRNT de 60%. Sendo o calcário com um PRNT alto de 80% à 100%, o período será reduzido para 20 à 30 dias.A aplicação do calcário na calagem dos solos, se baseia em uma fórmula simples, através do PRNT (poder de neutralização total), quanto maior for o percentual do PRNT, menor será a quantidade de calcário utilizado, como também o tempo da calagem é mais rápida.

A nossa garantias para o calcário na correção de solo são:

CALCÁRIO DOLOMÍTICO GRANULOMETRIA
CaO (mínimo) - 30,00% ABNT Nº 10 - 100,00%
MgO (mínimo) - 15,50% ABNT Nº 20 - 90,00%
PRNT(mínimo) - 80,00% ABNT Nº 50 - 60,00%
PN (mínimo) - 100,00 %


Clique aqui para baixar a ficha técnica do produto

*Aplicação de calcário corretivo


Calcário calcítico - ingrediente ração animal

A pedra calcária depois de britada é usada como complemento de sais minerais em várias rações animais: camarão, aves, pecuária, etc. O calcário destinado ao complemento das rações animais é denominado CALCÍTICO. Hoje, o estudo e pesquisa na área de nutrição animal é de grande importância para se criar um bom desempenho tanto aos criadores como das fabricas de ração. O mercado da Avicultura é o maior na produção de ração, comparado com as áreas de eqüinos, bovinos, suínos, ovinos, caprinos, piscicultura e linha pet.

O Calcário Calcítico ocupa um espaço considerável com relação ao seu uso como ingrediente da composição das rações animais. A preocupação no emprego de calcário como fonte de cálcio para Avicultura faz com que exista uma melhor rentabilidade, principalmente no Nordeste, pelo custo da matéria prima, que é baixo. As aves consomem mais ração com baixa quantidade de cálcio, pois com muito cálcio a ração fica pouco palatável, existindo assim o cuidado para as aves não deixarem de ser alimentadas corretamente, para que não tenham má formação. A necessidade de cálcio das galinhas é muito variável dependendo do seu nível de postura.

Uma poedeira em média necessita de 20 vezes mais de cálcio do que o existente em seu corpo. Em sua vida produtiva põe 250 ovos. Com 5 meses de vida as mesmas necessitam de 30g de cálcio por quilo de peso, para obter uma boa produção e formação do ovo. Passam 20 horas para formar a casca do ovo, com 10 à 15 horas de trabalho intenso.

Temos hoje três linhas de produção de calcário calcítico, um fino, extra-fino e granulado, com grão de aproximadamente 1,5 à 3,5mm. Na prática, o calcário granulado está sendo uma grande arma para absorção de cálcio pelas aves, ficando por mais tempo com o calcário em seu interior, absorvendo lentamente, sem muito desperdício de energia, retendo uma maior quantidade de cálcio. Do total, 50% é assimilada quando a casca do ovo não está sendo formada, e 80% no processo de calcificação, provocando ainda uma boa digestibilidade e uma formação adequada da casca do ovo.

Nosso calcário, para melhor atendermos aos clientes, passa por análises periódicas e constantes. É feita nas jazidas com a rocha in natura e constante na sua fabricação, onde seguimos os parâmetros abaixo, com as seguintes garantias:

COMPOSIÇÃO BÁSICA: ROCHA CALCÁRIA
MODO DE USAR: A CRITÉRIO DA FÁBRICA DE RAÇÃO

NÍVEIS DE GARANTIA
CÁLCIO (Ca) Máximo....................398,00g/kg
CÁLCIO (Ca) Mínimo.....................370,00g/kg
MAGNÉSIO (Mg) Máximo.............8000,00mg/kg
MATÉRIA MINERAL Mínima.........980,00g/kg


Clique aqui para baixar a ficha técnica do produto

*Ingredientes para ração animal

Cal

A Cal é um produto simples de ser fabricada, porém deve-se observar o tipo de pedra calcária e sua qualidade para obter um bom resultado para o fim em que será empregada. E produzida à partir do aquecimento da pedra calcária por gases de combustão, pelo processo de dissociação, onde o carbonato de cálcio transforma-se em cal e gás carbônico.O Cal resultado deste processo chama-se de Cal Virgem, podendo ser transformado em Cal hidratado, pela hidratação com água.

Existem dois tipos de Cales bem distintas:

A Cal Calcítica

Onde geralmente o teor de CaO oscila entre 95% à 98% e o MgO atinge, no máximo 2% à 3%. O seu emprego pode ser na metalurgia do cromo, do alumínio; refinação de açúcar da cana; de petróleo e tratamento d’água; produção de tintas e vernizes; fabricação de esmaltes e graxas; produtos farmacêuticos, fertilizantes, entre outros.

A Cal Magnetizadas ou Dolomíticas

O teor de CaO situa-se entre 57% à 64% e o MgO entre 20% e 41%. O emprego da referida cal, pode ser usado na carcinicultura no controle do pH e proporciona cálcio, pisos de galinheiro e estábulos, para combater a umidade e absorver a uréia, eliminando odores. Na produção de argamassas; na estabilização das estradas de rodagem; na produção de refratários de concreto celular, para caiação, entre outros.



Garantias para a Cal:
TEOR VALORES % PENEIRA %
CaO + MgO 68,0 ABNT Nº 10(2,00 mm) 100,00
CaCO3 94,0


Clique aqui para baixar a ficha técnica do produto

*Carcinicultura, alta rentabilidade com aplicação da Cal